Início Notícias Coronavírus [Editorial] - O que mudou em Urupês depois de um ano de vacinação contra a COVID-19?

[Editorial] - O que mudou em Urupês depois de um ano de vacinação contra a COVID-19?

Comércio, indústria e serviços voltaram ao funcionamento normal, com responsabilidade, e município está no maior período sem registrar óbitos pela doença

Cerca de 4 minutos de leitura

95 acessos

Homem é vacinado durante a campanha de vacinação contra a COVID-19 em Urupês. Foto: Luís Fernando da Silva / Prefeitura Municipal de Urupês.

Homem é vacinado durante a campanha de vacinação contra a COVID-19 em Urupês. Foto: Luís Fernando da Silva / Prefeitura Municipal de Urupês.

Por Luís Fernando da Silva - Departamento de Comunicação

Publicado em 01/02/2022 12h54 - Atualizado em 01/02/2022 13h14

[Editorial] - Era final de janeiro de 2021 quando as primeiras doses da tão aguardada vacina contra a COVID-19 chegaram a Urupês. O momento era de festa; depois de quase um ano de pandemia, a imunização trazia à população um sentimento de esperança pelo “início do fim” de um período conturbado que impactou a vida de todos os urupeenses.

Em 21 de janeiro de 2021, os profissionais de saúde foram os pioneiros a receber o imunizante Coronavac, o primeiro aprovado pela Anvisa e disponível no Brasil. Duas semanas e meia depois, em 8 de fevereiro, a vacinação passou a ser feita por faixa etária, chegando a idosos com 90 anos ou mais.

Mas como era o cenário na época? Muito diferente. O consumo local em bares era proibido, sendo liberado apenas o sistema de delivery, até às 20h. Em restaurantes, somente o consumo em áreas externas e com capacidade reduzida era autorizado. Comércio e serviços podiam funcionar presencialmente, mas com horário reduzido e lotação máxima bem restrita. Tudo isso para evitar o máximo o contágio e o agravamento da doença.

Hoje o cenário é bem diferente. Ainda que seja necessário manter os cuidados sanitários, o funcionamento de estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços voltou ao normal e o número de casos, embora tenha voltado a subir devido à alta taxa de contágio da variante ômicron, dificilmente se agrava exigindo internações. E o símbolo mais importante da eficácia da vacina: Urupês está desde 24 de agosto de 2021 sem registrar óbitos; são 161 dias: de longe, o maior tempo desde o início da pandemia.

O esforço da vacinação deu resultados. Depois de um ano, foram mais de 30 mil doses aplicadas e mais de 80% da população do município com esquema vacinal completo. Agora a esperança continua se renovando com a imunização de crianças de 5 a 11 anos.

“Agradeço aos profissionais de saúde que se dedicaram tanto para levar a imunização até nossa população e às pessoas que confiaram na ciência e procuraram as unidades para se vacinar. Graças a vocês, conseguimos chegar até aqui hoje e, com a Graça de Deus, voltaremos logo a vida como era antes da pandemia”, finalizou.

A COVID-19 deixou profundas marcas na história do mundo e em Urupês não foi diferente. Aqui, foram 46 vidas levadas diretamente pela doença, sem contar aquelas pessoas que se foram devido a complicações causada pelo coronavírus. Contudo, em meio às perdas e tristezas, outros 2085 casos venceram a doença e a ciência e a imunização foram imprescindíveis para que esta esperança de vitória se tornasse realidade. O contágio ainda existe e os cuidados continuam sendo necessários para evitar a doença, mas a vida, aos poucos, vai voltando ao normal graças a vacinação.

Não perca nenhuma notícia 🔥

Inscreva-se gratuitamente e receba as notícias mais quentes da cidade diretamente em seu e-mail.

Notícias recomendadas

Pesquisar por assunto